26
junho
2016

Paul, Aspargos e Brasil

Postado por Ana em Diário de uma expatriada newbie, Viagens da Ana

Porque tem que rolar uns posts-diarinhos de vez em quando, né?

Paul e o público blasé

paul

Há algumas semanas pude conhecer Düsseldorf, e a ocasião era especial: show do Paul McCartney. Eu devo ser uma beatlemaníaca de meia-tigela, pois só tinha ido a um show na vida, em Belo Horizonte. O show em BH, em 2013, foi uma das experiências mais maravilhosas da minha vida. Lembro que quando o Paul apareceu me deu até uma tonteira de emoção, achei que ia desmaiar kkkk! Mas era aquele esquema Brasilis, né? Chegar 3 horas antes, quase morri na fila e depois um espreme-espreme lá na frente. A experiência aqui foi BEM diferente, por um lado pior, por outro melhor. Eu convidei meu marido pra ir comigo, que não é lá muito fã de Beatles/Paul. Eu prometi que o Paul é um artista sensacional, que não tem quem vá e não morra de amores. Não deu outra, no dia seguinte tava ele ouvindo músicas do Paul no Youtube. Fomos só um final de semana e, por sorte, o tempo estava ótimo. Facílimo de ir ao estádio, chegamos rapidinho de bonde. Lá, tudo mega organizado, entramos direto. Mas, chegando lá, cadeirinhas marcadas, tipo escola. E, assim, lá na frente, tudo no mesmo nível, como eu eu ia fazer pra enxergar o Paul? Da próxima vez ficarei na arquibancada! Por sorte a alemã na minha frente não era tão grande. Começado o show, vi uma diferença gritante no público: além de beeeeem mais velho que no Brasil, o povo é tipo um QUINQUILHÃO de vezes menos empolgado. Tipo, tinha hora que eu ficava com dó do Paul. Nada de povo esgoelando junto, mil gritinhos, pulando, nada disso. Em algumas músicas o povo realmente SENTAVA. Quase não dançavam. Gente, coitado do Paul. Devem dar muita grana pra ele aceitar tocar aqui, viu? Mas enfim, maravilhoso como sempre!

Aspargos isso, aspargos aquilo

aspargos

Aqui é tudo bem definido. Tem época pra tudo! E quando surge a tal época, os alemães ficam quase meio com TOC com aquela coisa. É natal? Faça biscoitinhos! É época de colher tulipas nos campos? Vá colher tulipas nos campos. E, olha, não tem como não se deixar contaminar por esses estímulos. Com os aspargos, a coisa é meio gritante. Eles surgem na primavera e absolutamente TUDO começa a ser de aspargos. Os grandes letreiros dos restaurantes com os pratos especiais de aspargos! Todos te convidam pra comer aspargos! Aspargos, aspargos, aspargos! O mais incrível é que, pontualmente, no dia 24 de junho, os aspargos frescos somem das gôndolas, por motivos de colheita e blablabla. Sendo assim, como não querer aproveitar? Eu nem lembrava do gosto de aspargos, mas nessa estação comi o suficiente para saber que gosto mesmo é do verde. Agora estão só nas lembranças e na forma de dois litros de sopa que congelei!

Brasilsilsil

bh

Dessa vez fui rapidinho ao Brasil e o mais legal foi que nem minha família sabia. Se por um lado queria fazer uma surpresa pra eles, por outro achei que seria legal chegar uma vez sem mil programas marcados, sem expectativas, sem cobranças. Quem é expat sabe que agonia são essas visitas, por mais maravilhosas que sejam. Não dá pra fazer tudo o que queremos, não dá pra encontrar todo mundo que queremos e sempre fica alguma chateação. Dessa vez, pelo menos, consegui cancelar meu cartão de crédito. Mas não consegui fazer outras burocracias que queria! Infelizmente me ferrei e fiquei quase o tempo todo me sentindo mal, meio enjoada. Aliás, tem acontecido na últimas vezes que fui ao Brasil, de pegar zigziras, acho que meu corpo desacostumou. Mas antes de eu ficar zicada pude ir ao casamento de uma amiga na Igrejinha da Pampulha, o maior cartão postal de BH. Fiquei muito feliz de participar, só Deus sabe o tanto de casamento importante que perdi e perderei nesses anos. Fiquei com medo de não conseguir voltar pra casa, tamanho era o mal-estar (e a viagem não é mole, né). Mas consegui e cheguei aqui nem sabia mais em que fuso estava, acho que fiquei no meio termo. Mas me senti muito bem assim que pousei aqui, diz meu pai que minhas zigziras no Brasil são psicológicas porque sinto falta de cá. Será? Não é possível que atingi esse nível de maluquice. Detalhe para minha sobrinha na foto usando um vestidinho igual ao meu que levei de presente! <3 Pena que esqueci de tirar a foto de "par de jarro".

Beijos do Hochsommer!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
  1. Isabella 26/06/2016 às 16:28

    Lembro que achei muito peculiar isso do aspargo ser retirado da prateleira num dia específico kkk
    Ah, sobre os programas, não precisa ser expat pra passar por isso. Basta mudar de cidade que isso já acontece. Vou a BH umas 3x/ano e na cidade dos meus pais tb, ou seja, são 6x/ano em que temos que nos programar bastante. E realmente dá chateação, então das últimas vezes avisamos só a família mesmo e combinamos com um ou outro amigo já antes, pra ajudar. É uma pauleira, mas vale a pena.

    • Ana 10/07/2016 às 10:54

      Pois é, estou sentindo falta. Vejo pessoal fit comendo aspargo grelhado com frango e eu nao tenho mais essa opção aqui, sinto que nao aproveitei a estação o suficiente. Ano que vem vou virar a louca dos aspargos ao cubo!
      Super entendo…nossa dificil demais. Pior que ainda fico querendo ir aos medicos lá, salao, complicado! Bj

  2. Cindy 28/06/2016 às 16:31

    Oi Ana! Amo o Paul As pargos e o Brasil!!! HAahaha
    Nossa, não é a toa que ele ficou super feliz com as homenagens que fizemos (bexigas brancas, depois o NA NA NA em cartazes)…! Como pode ser tão diferente né?
    Bjs!

    • Ana 10/07/2016 às 10:53

      hahahha
      pois é, tb acho que a empolgação dos artistas que tocam no Br é genuína, nosso publico é especial! bjos

  3. Sandra 29/06/2016 às 05:15

    Ah, que post bacana!!
    Eu confesso que não sou fã dos Beatles, nem do Paul, rs.. mas deve ser mesmo muito legal um show dele, já ouvi falar de como ele é simpático e tudo mais! Aqui os shows são desse jeito também, rs… deve ser frustante para um cantor em começo de carreira vir para a Suíça fazer show, hehe, melhor para o ego é ir mesmo para o Brasil, lá sim, qualquer cantor meia boca, deve sair do show com a auto estima lá em cima, hahaha, porque brasileiro grita e se esgoela mesmo.
    Eu adoro aspargos, mas igual a você, só gosto mesmo do verde, nem aquele molho todo que fazem para servir o aspargo branco, faz com que ele me apeteça.
    Ah, que pena a zigzira na sua viagem ao Brasil :-( , mas que bom que você pode estar presente no casamento da sua amiga. Sim, a gente vai perdendo muitos momentos importantes das pessoas mais queridas, mas assim é a vida… não dá pra ter tudo. Bom resto de semana por ai!!!

    • Ana 10/07/2016 às 10:52

      o molho hollandaise, nossa trem gordurento. A consistencia do branco acho mto estranho, meio pegajoso! E servem de umas formas estranhas! Nao me acostumei ainda. Bjos!

  4. Ana 30/06/2016 às 07:38

    Oi Ana! Eu fui no show em Munique e foi uma decepção! Alemão não sabe curtir um show e ponto. A única coisa que eles sabem fazer é bater palmas e isso me irrita profundamente. Tem música que nao tem nada a ver com palmas e eles continuam hahaha! O show de Munique goi muito tenso. Ninguém sentou, mas tinha gente que vinha lá de trás e ficava transitando pelas fileiras de cadeiras e os seguranças super grossos ficavam mandando o povo ir sentar. Eu fiquei bem na frente e teve uma hora que dei uns passos pra frente pra tirar uma foto e o segurança veio pra cima de mim todo autoritário mandando eu ir pro meu lugar. Eu DETESTEI a organização!!! O último que fui em Amsterdã foi completamente diferente. No Brasil nem se fala! É sempre um prazer ver o Paul ao vivo, mas esse show de Munique foi muito ruim por parte dos organizadores e público :(. Pena que o seu foi assim também.

    • Ana 10/07/2016 às 10:50

      Oi Ana! Lá em Düsseldorf nao reparei em seguranças, isso foi bem tranquilo, e o pessoal tb ficou realmente nos proprios lugares o tempo todo. Foi maravilhoso o show , só fiquei meio impressionada com a falta de empolgação do povo. Eu tava mto empolgada, espero ter mais oportunidades, que ele nao pare tao cedo ! bjos

  5. Viviane 25/07/2016 às 23:53

    Nossa, se tem uma coisa que eu amo na vida é ir a shows.
    Já fui tanto no Brasil quanto no exterior.
    Claro, os do exterior são sempre mais organizados.
    Mas, os no Brasil, são muito mais animados.
    Essa é uma hora que eu bato muita palma pro brasileiro: cantam as músicas, aplaudem, vibram. É muito massa!

    Adorei o post.
    Um abraço!

    • Ana 31/07/2016 às 05:03

      Oi Viviane…
      nossa, nem se fala!
      EM um mundo ideal, o acesso aos shows seria igual aqui e com a animação do Brasil durante o show… heheh

Comente você também