13
setembro
2016

Amigurumis, paixão à primeira vista

Postado por Ana em Fofo

Não é de hoje que tenho visto esses bichinhos e bonecas de crochê. Mas até há poucos dias não sabia que tinham um nome específico. Vi que se chamam Amigurumis no blog da Ana, que fez um lindo para seu babê-to-come e googlei e foi aí que deu um estalo. Quero, preciso….!!! hahahaha Eu sou muito viciada em coisas fofinhas e isso não deve ser novidade para quem me segue. Ano passado comprei um material de crochê e decidi que ia aprender. Pensava em fazer coisinhas inúteis ou peças de vestuário. Estava aprendendo com a Edinir no You Tube. A questão é que ainda estava ensaiando os pontos básicos quando entrei naquela situação em que precisava excluir alguma coisa da minha rotina. Eu estava fazendo umas 345 coisas ao mesmo tempo, decidi que não dava para seguir fazendo todas bem e com constância e o crochê foi uma das coisas que rodaram. Mas agora vi que são outros quinhentos. Eu tenho um alvo muito concreto para o crochê: fazer amigurumis! Eu preciso fazer amigurumis! hahaha

Sei que o difícil não vai ser aprender, mas sim ser contante no aprendizado e reservar uns 10 minutos por dia com vídeos e treinos até o ponto que farei o meu primeiro. E, principalmente, controlar a impaciência, que é a maior destruidora de planos a longo prazo. E aí, será que vou conseguir? Façam suas apostas. :) Enquanto isso a gente fica babando com alguns lindos que achei no Pinterest.

ami2

ami3

ami4

ami5

ami6

amigu1

Obs: Peguei essas imagens no Pinterest, então não sei bem a quem atribuir. Se alguma dessas imagens te pertencer, me mande um e-mail caso queira que seja retirada OU se preferir me mande um link de crédito para adicionar.


Beijos fofoletes

11
setembro
2016

Xampu Seco do Lee Stafford Dark, para raizes escuras

Postado por Ana em Cabelo

A primeira vez que testei xampu seco foi em 2012 e postei aqui. Em 2014 experimentei o do Lee Stafford, gostei e postei aqui. Na época vi que tinha a versão para cabelos escuros e planejava experimentar assim que acabasse, mas como acabei experimentando uns da Batiste no meio e uso pouco, só há algumas semanas acabaram-se todos e tive a chance de comprar um novo.

leedark

Comprei então o do Lee na Müller e dessa vez o “DARK” , para cabelo escuro. Então vou dar um pequeno feedback para vocês! Eu não uso xampu seco todo dia. Uso em situações específicas: como quando vou para academia de manhã no final de semana (e obviamente não quero lavar o cabelo antes de ir) ou se tenho que sair meio esbaforida de casa no final de semana antes de lavar os cabelos.

A primeira impressão que tive do xampu seco para raízes escuras foi péssima. Como de costume, acho bom dar umas batidinhas com a mão, até porque até mesmo com ele, em alguns lugares fica, às vezes, estranhamente esbranquiçado. Mas beeeem menos do que com o clássico. O problema é que, no primeiro uso, minha mão ficou marrom e eu estava de blusa branca. Em um piscar de olhos acabei pegando na blusa e fiz a maior bagunça, hahaha. Das outras vezes isso não aconteceu, não ficou mais saindo marrom na mão. Não sei se não chacoalhei direito ou se foi porque foi o primeiro uso mesmo. Então, no fim das contas, gostei bastante porque me poupa do trabalho de ficar espalhando no cabelo minuciosamente.

leedark2

leedark3

E continuo preferindo o do Lee que o da Batiste… :)

Pergunta: quando tiver vídeo novo no Youtube vocês querem que eu faça um post aqui só com o link para o vídeo ou melhor deixar como está? De qualquer forma, dêem uma forcinha se inscrevendo no meu canal! Teve vídeo semana passada, vai ter novo amanhã e já tem um pra próxima! Vocês também podem me seguir no instagram @anacris.lc ou no snapchat @anacris.lc.

Beijos!

03
setembro
2016

Meus Dash-Buttons dos sonhos

Postado por Ana em Tech

Esta semana, no meu “window-shopping” de praxe na Amazon, vi uma coisa que me chamou a atenção. São os novos Dash Button“, uns aparelhinhos tipo botões que você compra pra colar pela casa do lado dos respectivos produtos favoritos. Daí, quando você vê que estão perto de acabar, é só apertar o botão que eles enviam pra sua casa. Tem que configurar pagamento, etc, antes, claro! Por enquanto são só alguns produtos – só fico de cá imaginando as quantia$ envolvida$. Mas imagino que a tendência é que sejam cada dia mais ! Por enquanto os botões têm um custo de 4,99 euro cada!

dash1

Para mim não foi apelativo por alguns motivos. O primeiro é que moro quase dentro de um supermercado, então a maioria das coisas compro num piscar de olhos. O segundo é que, pra mim, receber encomendas em casa é muito pouco prático. Não estou em casa em horário útil e, como em todo o país, não tenho porteiro, o que significa ou incomodar um dos meus vizinhos bizarros ou ter que buscar a encomenda sabe-se lá onde. Fora as incontáveis caixas de papelão, picotá-las com minha mão, jogar no lixo (atualmente estamos tendo novamente a guerra do lixo que mencionei aqui). Por isso, me manterei old school por um bom tempo. Mas devo admitir que a idéia é bem interessante. E que esse é um conceito que ainda pode ser muito aprofundado e evoluído e agradar a gregos e troianos. Para começar, imaginei os Amazon Dash que eu teria na minha casa…

dashwishlist

E vocês, gostam dessa idéia? Teriam qual em casa?

Beijos!

24
agosto
2016

Espadrilha florida

Postado por Ana em Moda

O sapato já está ficando velho e se desfazendo e ainda não mostrei pra vocês, né? Na verdade, é minha primeira espadrilha sem salto – e falar que gostei do negócio, viu? Tão confortável! Ela é sim meio difícil de usar, uso com cores neutras – meu macaquinho nude, vestidinho preto… Mas dá um toque todo especial.

espadri1Devidamente alargada por meus pés gordos :(

espadr2

Eu ganhei no meu aniversário (em abril) e, apesar de eu mesma não gostar de gastar dinheiro com sapato, quando é de presente são outros quinhentos! Aliás, é o tipo de presente que eu mais gosto de ganhar: coisas meio inúteis mas legais, que eu acabo não comprando pra mim mesma. Tipo firulas de banho, sabe? Eu jamais vou dar 25 euros num esfoliante, se posso comprar um por três. Mas se chega de presente é mega útil, master bem-vindo. Claro que não foi comprado às cegas, eu já tinha passado por ele e falado NOSSA QUE COISA MAIS LINDA. É sempre arriscado comprar algo assim sem saber se agrada o freguês. Vocês não gostaram da bolsa-desejo da Gucci, mas o que acharam da minha espadrilha? Vocês usariam ? Eu amei!

espadrilha

Foi comprada na Kaiser’s aqui em Freiburg!

Beijos

22
agosto
2016

Essa tal qualidade de vida

Postado por Ana em Coisas da Ana

Escolha um trabalho que você ame e não terá de trabalhar um único dia de sua vida“.- Confúcio

Essa linda e inspiradora frase me torturou por anos a fio. Cheguei várias vezes a questionar se estava fazendo a coisa errada. Logo eu, que tive todas as oportunidades na vida e poderia ter sido qualquer coisa que quisesse, que desperdício, que ingratidão, e, e, e… Hoje eu sei: essa frase é péssima !

Ela é verdadeira para alguns poucos felizardos, sejam eles mais velhos que atingiram tal excelência que realmente só farão o que quiserem. Sejam eles sortudos para caramba mesmo tipo celebridades promovidas a divas que fazem o que bem entenderem. Sejam eles herdeiros cujo trabalho é ir pra eventinhos que derem na telha. A verdade é que, nós, da vida comum, não podemos escolher tanto como guiar nossa vida e 100% do tempo. Temos conta a pagar, temos a necessidade de estabilidade, temos o sonho da casa própria , o que for. E, sim, eu gosto do que faço. Mas naquela segunda chuvosa com o corpo mole, ainda esgotada da semana anterior eu REALMENTE sinto que estou indo trabalhar e me dou o direito de falar P$##%! quando o despertador toca. O labor da vida real envolve ter obrigações, envolve ter que ir quando não quer, envolve engolir sapos e humilhações. E é assim para 99,9% das pessoas, gostando do que fazem ou não.

qualidaderosas

Atualmente tenho pensando muito nisso. Sempre digo que, dentre tanta gente que não teve oportunidades no mundo, acho que é um luxo enorme poder ter escolhido uma profissão, mas todos nós temos nossos limites. Conversava outro dia com um grupo de amigas e a opinião era uníssona: estamos todas em uma fase em que sentimos a necessidade de priorizar a qualidade de vida. Estamos todas muito cansadas e sentindo que precisamos reduzir um pouco o ritmo. Gostamos do que fazemos, mas precisa ser tanto e tão intenso? Eu realmente não sei especificar totalmente o motivo, mas desde que me mudei pra cá a impressão é que tenho menos tempo para mim mesma. É verdade que, em número de horas, talvez eu até trabalhasse mais no Brasil. Mas lembro que o restante do tempo era 100% pra mim e acabava tendo muito mais tempo para as minhas coisas. Não tinha que gastar tempo com absolutamente mais nada. Aqui, o trabalho é realmente mais extenuante, como não canso de repetir. Aqui ainda tenho as tarefas de casa. Acho que todo mundo que sai da casa dos pais, sendo no Brasil ou não, não tem muito como fugir delas – tem coisa que só nós podemos fazer por nossa casa. Personal Organizer? Me desculpe, mas não pertence ao mundo real. Mas aqui, por enquanto, é praticamente tudo e isso pesa. Eu digo que você não imagina o tanto de coisa que tem para sujar numa casa até ser responsável pela limpeza dela. E a própria vida a dois, né? Temos que cuidar para dar atenção ao outro, e inclusive é algo aliviador da rotina intensa – mas que gasta tempo, gasta. Casamento gasta tempo. Filhos então, nem posso imaginar. Tem aquele clichê que diz que o amor é uma plantinha a ser cultivada todo dia e isso é algo no qual eu sempre penso. Enquanto não arrumo mais tempo absoluto, tenho prestado atenção em algumas coisas para melhorar (ou não piorar) essa sensação de estafa:

Fazer exerício físico

Meio paradoxal, mas acreditem. Eu sou a eterna couch potato, nunca gostei de exercício físico e sinceramente continuo não gostando. Mesmo sendo dificílimo emendar a academia após o dia de trabalho, quando estou lá no vestiário trocando minha roupinha me sinto bem satisfeita de saber que estou fazendo algo pelo meu corpo. Isso me deixa feliz e supera o cansaço físico.

Me alimentar bem

Por isso faço questão de gastar umas duas horas no domingo. Claro que como minhas bobagens de vez em quando, mas ter um almoço caseiro (ainda que simplérrimo) durante a semana é algo que me dá uma sensação boa: nada pior do que comida de microondas, ou de comer um sanduba da padaria no almoço. Na minha opinião!

Ler e estudar outras coisas

Por mais importante que seja estudarmos sempre coisas da nossa área, nada mais abatedor do que perceber que você não lê mais coisa nenhuma, que há meses não lê um livro novo. Infelizmente meus livros escolhidos têm empoeirado ao lado da cama. Quando tento ler à noite acho que leio três linhas e ZZZZZZZ. Para isso o novo hábito de audiolivros na academia tem ajudado muito. Continuo achando que audiolivro não é livro, mas quebra o galho. :) Adoro quando termina um e vou começar outro. Estudar línguas também é algo que me faz bem demais e acho que seria a última coisa da qual eu abriria mão. Mas serve pra qualquer coisa: aprender instrumento musical, dança, etc etc. Importante é fazer algo fora da área.

Jantar fora pelo menos uma vez por semana

Ter alguém cozinhando pra gente, nos servindo, lavando a louça depois. Um tempinho para relaxar, preocupar-se só com a conversa. Incrível como revigora minha energia.

Aproveitar a natureza

Praticamente todo domingo cedo lá estou eu floresta adentro. Mesmo já tendo cumprido meu plano semanal de aeróbico, tenho feito isso pela sensação de qualidade de vida que dá. Se estiver com preguiça vou de bicicleta. Não tenho perdido mais essa oportunidade, principalmente se o tempo estiver bom.

qualidadenatura

Respeitar meus limites

Sou jovem, saudável, estou na esquina da Europa. Às vezes me pego pensando se eu não devia estar fazendo como outras pessoas e viajando em cada mísera oportunidade. Por outro lado, nada mais maluco do que “se sentir obrigado a se divertir”. A verdade é que viajar é bom mas cansa. E muito. Me desobriguei dessa “obrigação de divertimento” e aprendi a respeitar o meu corpo e só fazer o que eu genuinamente estou a fim. Para mim o maior exemplo é que acabei de adiar uma viagem dos sonhos no final de semana que vem, para a qual tirei dois dias de férias extra .. À medida que as semanas iam passando e as segunda-feiras chegando, eu fui notando mais e mais o quanto eu preciso de alguns dias pra ficar de pernas pro ar. Sabe quando nos sentimos perto de adoecer de cansaço? Até minha última viagem pro Brasil foi extremamente estafante e voltei mais cansada do que fui.

Pintar as unhas

Já tem muuuuitos anos que eu digo: se quiser saber como está a minha mente, só olhar pras minhas unhas. Nem precisam estar esmaltadas, mas quando minhas unhas estão descuidadas é porque minha mente está o verdadeiro caos. hahahaha Imagino que cada um tenha algo análogo na vida. Apesar de não me sentir obrigada (PORQUE MAIS UMA OBRIGAÇÃO SOCORRO) me faz bem ver minhas unhas pintadas durante a semana. Quanto mais que tenho feito em 15 minutos e dura a semana toda graças à Sally Hansen .

Lembrar do sentido da vida

Cada um tem suas crenças e/ou convicções e eu certamente tenho as minhas. De vez em quando é bom se dar um beliscão e pensar no sentido da vida e, por que não, na sua efemeridade. Será que aquilo que tira meu sono é realmente tão importante? Será que realmente preciso TER aquilo? Qual é o sentido disso tudo, o que estou fazendo aqui e como usar minhas atividades diárias para servir um bem maior?

Save the drama for your mama

“Life is very short and there’s no time for fussing and fighting, my friend”
. As pessoas que fazem parte de nossa vida têm um papel importante nesse área e por isso é importante selecionar bem (as que podemos selecionar). Só se cercar de gente com energia boa. Pessoas leves! E, sinceramente, se for para adicionar gente pesada, um milhão de vezes ficar sozinha. “Mesmo o amor que não compensa é melhor que a solidão“. Sério, Vinícius? É essa idéia podre que a sociedade tenta nos vender e que tem deixado as pessoas (principalmente mulheres) malucas. Não! Nós somos nossas melhores amigas! Aprender a gostar de si mesmo e da própria companhia é também muito importante. Enfim, acho que todos já temos problemas demais, coisas que independem demais da nossa vontade nos acontecendo a toda hora. Agora, dramalhão mexicano, discussões, intrigas, gritarias, ciúmes? Tô fora. Para mim, só leveza. E foi isso que escolhi para mim: um lar saudável, sem discussões desnecessárias, sem infantilidades, aprender a escutar e a falar com jeito. Eu me atento a cada dia para que minha casa seja meu pequeno templo de paz. Já pensou perder tempo com essas coisas?

qualidadeflores

Não me comparar com os outros

Cada um com as dores e as delícias de ser o que é. O que me passou, passou. O que eu tenho, quem eu sou, tudo consequência das minhas escolhas. Focar na minha vida e seguir em frente. Não comparar minhas conquistas com as de mais ninguém mas sim perceber minhas próprias evoluções em relação a mim mesma. Redes sociais? Legal para distrair, mas não me canso de repetir: é uma cilada Bino! Fique à vontade para esfregar seu dia na praia do Tahiti na minha cara que eu não caio nessa há tempos. :)

Fazer planos concretos

Em relação a essa história toda, o importante é – se sentirmos que algo não está legal ou ideal, melhor ter um plano para mudar a situação. Eu sei que não conseguiria ficar por anos a fio vivendo assim, então planejo conquistar algumas coisas e depois reduzir. Parar nunca, eu simplesmente não nasci pra ficar em casa o dia todo. Mas por aqui tem-se a flexibilidade de trabalhar menos, fazer contratos pela metade, etc. E esse é meu plano para um futuro não muito distante.


Eu tenho certeza que não estou sozinha nessa. Então me contem: o que vocês têm feito para melhorar a qualidade de vida?
Como vocês fazem para arrumar tempo pra si mesmo, para relaxar em meio à loucura do dia-a-dia?

Beijos!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Página 9 de 161567891011121314