26
janeiro
2015

L&C Awards: SAG Awards 2015

Postado por Ana em L&C Awards

Essa é uma daquelas categorias vintage do blog, né? :) Lembro de quando eu tinha daquelas homepages estáticas e como que os blogs chegaram para acabar com esse modelo. Acho que em tempos de redes sociais-relâmpago os blogs estão meio que morrendo! Podem reparar que o pessoal tem se dedicado cada vez mais ao YouTube (trocadilhos à parte, probloggisticamente, esse é O canal) e ao Instagram. Em blogs, quando a gente posta algo já é old news. Ignorando essa tendência, voltei após anos porque ontem teve o SAG Awards (teve o Miss Universo também mas nem vi).

Olha – eu não amei nenhum não, viu? Mas o que achei mais digno tirando o da Kaley Cuoco (que é lindo pra vida real mas não pra red carpet) foi o da minha conterrânea Camila Alves. Pra quem não sabe, ela é esposa do Matthew McCoughdajehnbfawney! Aliás, com um pouquinho de sorte, quem é de BH pode dar uma esbarrada no mesmo andando descalço pelas ruas (será que ele sabe que nossas ruas são todas c*ag*das por cachorrinhos de madames mal educadas?).

matthew

De volta ao vestido: é do Donna Karan Atelier. Eu mudaria o tecido pra algo menos aveludado, mas no geral achei muito bom.

Momento What the Hell

lupitawtf

Não pude deixar de notar a babação coletiva em relação ao Elie Saab da Lupita. Juro que lia os elogios aguardando um BAZINGA ou um comentário irônico no final. Gente? Vocês estão enxergando bem? Estão precisando de um teste de cores? Dou desconto pra leitoras do blog. ;) Me digam quais números vocês vêem nas pranchas abaixo:

ishiharaana

Não vê nada? Xiiiiii….. :( :(

Brincadeiras à parte, achei horrível! E vocês?

p.s: esse post foi vintage por outro motivo também- não estou com meu computador, então tive que montar as fotos usando o PAINT. Que martírio…hahaha

ps do ps: *novo* siga meu blog com Bloglovin

Beijos e até o Oscar!

23
janeiro
2015

Entre suíços e carteiras

Postado por Ana em Diário de uma expatriada newbie

Estava com vários produtinhos para fazer post, mas daí vim meio que de forma não planejada para BH, sem câmera nem fotos, então nem tenho muito o que postar até a volta, a não ser meus “causos”. Passei o fim de ano em BH e depois fui a Porto de Galinhas com minha família. Foi, claro, super legal! Retornei pra minha casa e comecei a fazer uns projetinhos (é essa a palavra que pessoas à toa dão pras coisas né HAHAHAHAHA), além de resolver picuinhas. Gente,é tanta picuinha que vocês não acreditam. Uma das coisas que eu resolvi fazer por agora é tirar a carteira de motorista alemã. Eu quase me arrependo de não ter feito ano passado, mas sinceramente foi muito corrido e não sei como poderia ter tirado antes. Paciência. A nossa carteira brasileira só vale lá por 6 meses, então a minha já era. Ao transcrever, a gente não precisa começar o zero e o preço final fica metade do que seria. Mas temos que fazer as provas teórica e prática e outros detalhes mais.

Penelope Charmosa (1)

Eu na verdade mal dirijo por lá, pois moro muito central e, quando preciso de transporte, o bonde, a bicicleta e carona do marido servem bem. Só que ao começar o processo de busca por trabalho, concluí que preciso de uma carteira de motorista válida antes de sair mandando currículos por aí – pois tenho em mente não minha própria cidade, mas algumas ao redor, para as quais ir de trem seria algo entre inviável ou extremamente demorado. Tenho até uma pequena fantasia de trabalhar na Suíça (mas morando na Alemanha), que tem suas vantagens e desvantagens. Um empurrãozinho nesta idéia foi quando vi que eles valorizaram ainda mais o franco suíço frente ao euro na última semana – isso é até bom pro país da moeda desvalorizada, porque fomenta muito a economia, os produtos ficam muito competitivos para a venda. Por outro lado, acho meio chato pro cidadão comum, que vê seu dinheiro desvalorizado em outros países. Se a minha cidade já era invadida por suíços querendo torrar seus valiosos francos (pra eles a Alemanha é tipo um Outlet de Miami, rs), agora estão vindo caravanas lotadas, é suíço pra tudo quanto é lado, você vai andando na rua e ouvindo aquele sotaque maravilhoso (#sqn).

sehtest_01

Como eu não estava esperando viajar, consegui pelo menos resolver todas as burocracias de carteira em tempo recorde e deixar tudo pronto para eu já voltar e fazer a primeira prova (teórica). Vejo muitos brasileiros reclamando dessa prova, porque você tem que estudar algumas milhares de questões para então fazê-la (eles tiram 30 questões do banco). A minha opinião é que não importa se são 10 ou 3000 questões, você viu todas antes, não dá pra reclamar. Quem dera se as provas da minha vida tivessem sido todas assim. A prova prática já são outros quinhentos. Eu dirijo até bem, houve uma época em que eu pegava a “estrada da morte” (BR 381 BH-Monlevade) todo final de semana, fora o trânsito maluco de BH em que sempre me dei muito bem. Só tem um problema: eu passei a última década fugindo de baliza. Eu realmente tenho horror a baliza. A que fiz no dia da minha prova em BH (há mil anos) foi uma dádiva e eu acertei não sei como. Fora que na Alemanha tem muitas picuinhas e particularidades – sem conhecê-las, o risco de atropelar pedestres e ciclistas dentro da cidade é bem alto, e de bater o carro também. Exemplo: há sinais que ficam verde para você e para o pedestre ao mesmo tempo. Por isso sugere-se fazer pelo menos 4 aulas práticas antes da prova prática. A notícia boa é que, por motivos óbvios, me livrei do curso de primeiro socorros que os outros têm que fazer. A notícia ruim é que não me livrei de fazer um “exame de vista” numa ótica.. kkkkkkk quando eu falo que minha vida não é fácil!!! Meninas, na hora que a moçoila do “exame” me mostrou os símbolos de Landolt e começou a me explicar como que era o exame, me baixou um Chandler-interno e eu pensei em pelo menos 10 coisas sarcásticas que eu poderia dizer. Mas no fim, ouvi pacientemente as explicações só concordando com a cabeça sem qualquer observação. Story of my life.

Beijos!

15
janeiro
2015

Limpando anel de ouro com batom

Postado por Ana em Dicas

Eu sempre sou a última a ter acesso a essas dicas clássicas de mãe/vó. Acabo obtendo muitas com as mães alheias! :) Minha amiga Aninha contou há um tempo como salvou um anel de ouro que estava totalmente preto/velho apenas com batom – dica de sua mãe. Fiquei curiosa e fui testar também. A receita é simples: você escolhe um batom de qualquer cor (escolhi o SNOB, que não uso mais) e passa no anel. Daí passa um algodão removendo o batom e voilà: a sujeira fica toda no algodão. Fica limpinho! Testei com um anel ˜de gosto duvidoso˜ que era no mínimo da minha bisavó e que estava mega encardido.

anel1
anel3
anel4Esse preto é tudo sujeira que estava grudada no anel!
anel5

Não sou das melhores fotógrafas, mas quem fizer vai ver com os próprios olhos. Se eu irei usá-lo agora são outros quinhentos. Anel de agiota, cafetão, por aí vai… kkk

Claro que tem outras formas de limpar ouro, mas achei isso tão prático e rápido …

p.s: troquei de instagram –> http://www.instagram.com/anacris.lc :)

Beijos da blogueira-mãezona!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Página 10 de 2316789101112131415