05
fevereiro
2017

Minha primeira manicure na Alemanha (cenas fortes!)

Postado por Ana em Alemanha, Crônicas cosméticas, Unha

Eu simplesmente entrei em uma maré em que cansei de fazer minhas unhas. Entre cozinhar, tarefas domésticas e as limpezas de mão no trabalho, minha manicure não estava durando nada. E cansei dos cintilantes da Sally Hansen (únicos a durar um pouco a mais). E daí eu deixava pra fazer domingo e ficava com preguiça. Resolvi então marcar a tão postergada visita à manicure aqui. Eu até faço minhas unhas relativamente bem. Não é no nível profissional do Brasil, mas com certeza 10x melhor que 90% das manicures profissionais aqui. Mas eu sou refém do pauzinho de bananeira pra limpar cantinhos – não faço direto sem sujar de jeito nenhum. Por isso não me arrisco com gel. Então obviamente só valeria a pena se fosse gel.

theomanicure

Marquei um horário no mesmo shoppingzinho onde fica a minha academia. Seria ótimo se eu tivesse ficado satisfeita, daí incluiria na minha rotina de sábado, poderia ir direto da academia semana sim, semana não, por exemplo. Eu não estava muito otimista, mas ainda sim de cabeça aberta. Sei que alguns são mais caros (agora imagino o porquê), mas escolhi pelo local mesmo. Já na marcação achei meio estranho porque o pessoal é chinês e a mulher falava um alemão terrível e mal abria a boca, muito difícil de entender. Aliás, aqui até tem muitos cabelereiros alemãs, mas a maioria dos outros profissionais (inclusive manicure) é de outros países. No caso das unhas, pelas minhas pesquisas, 80% são orientais. Aquele silêncio… No máximo os chineses vez ou outra só conversavam entre eles em chinês. Não mexi nas minhas cutículas antes porque queria ver mesmo como eles fariam – mas já esperava que não fossem tirar cutículas. Mas achei que poderiam hidratar, empurrar, sei lá.

gelalemanha1Foi uma criança que pintou? Não, foi um manicurO profissional

Quanto tempo pra fazer 55 minutos
Quanto custou: 29 euros
O que fiz: o nome so serviço era “Shellac“, escolhi só manicure+esmaltação, sem unha postiça. Mas não era Shellac coisa nenhuma – o nome no vidrinho era Elite99 => que pelo que pesquisei é um gel barato vindo de Hong Kong!
Quanto paguei: 29 euros, como vi depois não era Shellac verdadeiro! Os outros salões aqui cobram normalmente cerca de 40 euros por manicure + Shellac!
Onde fiz: no único salão que tem no ZO aqui em Freiburg

Como foi o processo:

Então começou com a mulher lixando minhas unhas. Daí vi que ela lixou naquele formato europeu ovalado horroroso (sério, como acham isso bonito?). Pensei, “tudo bem, na próxima vez eu peço para lixar quadrado antes“. Daí ela pegou um alicate e meus zóio saltaram da órbita. Mas daí vi que era só aquele alicatão de tirar pelinha. Ela conferiu, mexeu tipo em 3 unhas, muito pouco, e pronto. Daí lixou as unhas, daí veio com um rolinho de lixa giratório e passou em cima de todas. Daí passou um líquido. Daí começou a passar o esmalte que eu tinha escolhido e um homem que estava fazendo as unhas da mulher ao lado falou algo em chinês, ela retrucou. Daí sem falar nada eles trocaram de lugar e o homem foi fazer minhas unhas. Pelo visto a mulher não sabia o que estava fazendo, né? Ele tirou o esmalte que ela tinha começado a passar. Daí passou a lixa rotatória de novo em todas as unhas, daí pegou uma daquelas lixas emborrachadas e passou em todas as unhas também. Depois passou a base, e daí aquele esquema de ir pra luz UV. Depois começou a passar o esmalte. Bem devargazinho, e meio que corrigindo algum excesso com o próprio dedo dele. Aí – camada 1, vai pra luz UV, camada 2, vai pra luz UV. No final ele conferiu e mandou eu voltar pra luz UV mais uma vez. Daí passou um álcool e então passou a base. De novo, UV umas 2 vezes e acabou. Umas duas unhas saíram amassadas no fim (não encostei em nada) e ele passou top coat de novo e repetiu (o que influenciou na dificuldade de tirar, ler abaixo).

Resultado:

cuticulasNão empurraram nem hidrataram as cutículas. Tirar, já sabia que não tirariam.

Pelo menos salvei o aspecto das cutículas com um produto – conto essa semana ainda qual foi!

manicuregel2

Nada como acordar e ir fazer uma manicure profissional para se sentir linda e bem cuidada e, e, e ……

indicador
gelalemanha3
gelaleman5Não basta lixar horrível, ainda cria um novo formato com o esmalte deixando um espação

Formato horrível! Além disso, entre o salão e o carro deve ter escorrido um pouco de um dedo e ficou um calombinho na ponta (em casa, consertei com a lixa). Esses até 2 mm de espaço entre unha e esmalte também achei uó!!!

gelalem4Minha irmã logo perguntou: tava de graça?

E o acabamento? A foto do meu dedão fala por si só.

Quanto tempo durou?

oitavodiaOitavo dia, polegar
esmalte16dias16o. dia, todas as outras estavam assim

E o mais importante: quanto tempo durou? Esse foi aliás o motivo para a coisa toda. Olha, inteiro mesmo duraram 8 dias. Esses dias incluíram: limpeza de casa, preparo de comida, lavagens de mão 102093001 vezes no trabalho (e álcool), banhos escaldantes de inverno – e realmente não lascou. Nessas condições, já teria descascado com esmalte normal na terça. Após 3 dias vi umas ranhurinhas bem discretas no esmalte de alguns dedos – mas tipo bem discreta mesmo, não chegou a ser um problema. O brilho mantém-se inalterado. Ao longo da semana percebia que as ranhuras estavam aumentando (vejo meus dedos constantemente sem querer com a lâmpada de fenda). Até que sexta-feira a ranhura no polegar direito virou macroscópica, percebia como uma linha no meio, tipo quebra-cabeças. Pensei que era questão de tempo mesmo, porque já estava um pouco acima do nível da unha. Mas ainda dava para eu usar a manicure de boas. No outro domingo, 8 dias depois, esbarrei na quina de uma gaveta e daí lascou abaixo do craquelado. Os outros dedos todos estavam sem nenhuma lasquinha após 16 dias, mas pelo espaço que estava ficando, aproveitando o domingão, resolvi tirá-los após 16 dias. Mas aí começou o maior dos meus problemas.

Para tirar?

Como quis ver em quanto tempo ia descascar (mas sem ficar muito marmota), resolvi tirar o esmalte do polegar e pintar com um parecido que tenho aqui. Mas aí que foi o inferno. Era segunda feira e gastei uns 50 minutos tentando tirar o esmalte do polegar e não consegui.

p2shellacTem na DM e custa 1,95 euros

Esse é o produto que usei, e não acho que ele é ruim porque só precisa mesmo ter alta concentração de acetona. Veja que review boa dele aqui!

Fiz da forma que mandam: deixei a unha toda de molho no removedor por 10 minutos. Daí realmente uma parte levanta e você só tira com a espátula. A parte superior saiu fácil. Mas a metade de baixo do esmalte não saía nem por decreto! Daí coloquei algodão embebido em acetona mais 10 minutos sobre a unha e enrolei no alumínio. Tirei e estava inalterado, não levandou nada! A espátula nem fazia cosquinha. Daí deixei mais 10 minutos de molho (imagina a destruição que isso causa pro dedo) e … nada! Nem mesmo disposta a estragar minha unha com a espátula não consegui! Acabei desistindo e pintando por cima desse resto.

desesperounhaDesespero em tempo real no Snapchat, kkk

Entrei em fóruns de unha em gel para ver o que poderia ter acontecido, porque vi que realmente elas dizem que em 10 minutos já é para sair sem grandes esforços. Pelo menos com o Shellac original, né?

A HORA DO DESESPERO

Tentei de diversas formas tirar o esmalte das unhas restantes hoje:

1) 10 minutos com algodão embebido em acetona + papel alumínio —-> não fez nem cosquinha
2) 10 minutos com todas as unhas mergulhadas na acetona —- não fez nem cosquinha
3) lixei todas as unhas para ver se tirava ao menos o top coat + 10 minutos em acetona –> quase não fez cosquinha
4) 15 minutos no algodão com alumínio de novo + luva de borracha + calor local –> quase não fez cosquinha, amoleceu um pouco.
5) Mais algumas tentativas, assisti um episódio de friends de novo com as unhas na acetona (tipo 20 minutos)
6) Meus dedos estavam meio inchados, daí parei de tentar!


O melhor que consegui:

unhagelpavorosaUma manhã de domingo inteira gasta e foi o melhor que consegui. Essas partes restantes impregnaram-se à unha completamente.

Sim, irmãs, foi isso que me aconteceu. Passarei esmalte normal por cima disso e vou esperar meses pra essa joça sair por completo. O esmalte se incorporou à unha de uma forma que nunca vi! O normal de esmalte em gel é ele levantar após deixado uns 10 minutos em acetona e você finaliza com a espátula. Isso foi consequência de produto ruim e/ou técnica ruim.

Deu vontade de chorar, sério mesmo! Talvez um dia eu ria disso, mas agora estou realmente chateada. Não acho que vale a pena eu chegar com esses restos no salão para tirar – vão cobrar 15 euros e no fim vão é lixar a unha pra tirar. O jeito vai ser ir pintando escuro, até a unha crescer por completo.

Veredicto:

Não gostei do visual, a parte de tirar foi/está sendo um pesadelo! Eu não tenho absolutamente nada para comparar e até marquei em outro lugar no fim de fevereiro mas acho que vou dermarcar, até porque vou pro Brasil em março… Depois que voltar, não sei se farei mais. Talvez um dia nesse outro salão. Amei a sensação de ficar duas semanas sem preocupar com unha lascando. Mas o fato de eu não conseguir tirar fez não valer a pena. A Alemanha é muito pobre em resenhas de beleza, o ideal era eu ler avaliações dos salões antes, mas tinha algumas estrelas no Google e só. Mas talvez pro futuro o que seguirei e o que aconselho é não fazer gel aqui jamais em um lugar que custe abaixo da média! Veremos …

Beijos!

07
abril
2016

Ana sem-calças

Postado por Ana em Crônicas cosméticas

Lembram de um post velho onde reclamei que uma calça da Zara explodiu? Gostaria de me retratar com a Zara pois, aparentemente, o problema não é com ela mas com minha b*nda. Após aquele episódio foi uma sucessão de explosões de calças. De todas as cores, tecidos, marcas e preços! Era calça de vinte euros explodindo, era calça de cem euros explodindo. Tentei de tudo – tento não agachar, não fazer movimentos bruscos, mas não adianta – basta um momento de distração e … POC! Nos últimos anos eu peguei meio birra de calça jeans e passei usar mais calças pretas de material não-jeans. Elas deram então continuidade à saga e iam então estourando uma atrás da outra e eu ia comprando novas. Antes que imaginem Ana-Panicat saibam que eu não uso calça apertada, mas também não são largas, sei lá, acho que tá tudo confortável mas quando vejo já se foi mais uma. Nem tenho os glúteos avantajados, acho bem na média. Mas que tem um problema na área deve ter, alguma desproporção!

explosion1

A minha última calça preta era da H&M e me custou uns vinte euros só. Estava ótima há pelo menos um ano, nem desbotava com a lavagem – uma das calças mais incríveis que já tive. Só usava ela nos últimos meses. Daí engordei 3 kgs em BH e semana rertasada ela rasgou-se completamente entre as duas pernas e acabei jogando fora por lá mesmo. Fiz até funeral da calça, comprei coroa de flores … qual não foi minha surpresa ao perceber que não tinha mais calças pra usar?! Tenho as brancas de trabalho (que por enquanto não explodiram), mas essas não contam. Tenho uma legging horrorosa que uso pra viajar de avião junto com alguma blusa bem comprida – e foi graças à ela que voltei pra casa hehe. Cheguei aqui em casa e fui fuçar e achei um monte de ex-calças pretas queridinhas explodidas que eu tinha esperança de costurar (mas não vai rolar, já estou jogando fora). Outra calça jeans explodida não usável. E láaaaa no fundo da gaveta um jeans velho todo empoeirado que, vindo de tempos áureos de boa forma, hoje nem abotoa mais na barriga. Mas foi com ele mesmo que fui passear na cidade no último final de semana. Virei a Ana sem-calças!

explosion2

Como eu morro de preguiça de comprar calça (experimentar calça acho uó), acabei ainda não comprando, vou ter que criar coragem e comprar uma nas próximas semanas. Espero que esquente logo, pois vestidinhos não me faltam.

Alguém tem esse problema também?! Como será que a Kim Kardashian faz??


Beijos!

02
setembro
2015

Delineador envelhece, ainda bem

Postado por Ana em Coisas da Ana, Crônicas cosméticas

[Ana ranzinza mode ON]

Passar perrengue/raiva no trabalho por causa da cara de nova não é privilégio da minha vida na Alemanha. É algo que me atormentou a vida toda. Seja na infância, quando eu era parada por outras crianças de 5 em 5 minutos pra perguntarem de qual série eu era ou na faculdade, quando era rotina mesmo sofrer com o preconceito dos pacientes por ter cara de nova (“você não é muito nova pra fazer toque nos outros?“). Claro que a tendência é isso acontecer cada vez menos, mas ainda é algo com o qual tenho de lidar todos os dias. O pior é que este é um “problema” que causa ZERO empatia nas pessoas, simplesmente pelo fato de que a maioria das pessoas não tem o azar/sorte de ter esse problema. Para mim isso causa muitas situações desagradáveis, além do fato de que eu tenho que ficar 100% do tempo tendo que provar que sou capaz das coisas, extremamente exaustivo. Enquanto o colega 5 anos mais novo, cara de velho e porte atlético é visto como “o sábio experiente”. Aqui na Alemanha até hoje ninguém foi rude comigo por isso, mas é quase diário “você é médica?”, “nossa, que médica nova”, “ué, mas não vou passar no médico?”. Na maioria das vezes os pacientes realmente ficam envergonhados quando eu falo que “isso foi a consulta”, até porque é uma ignorância tremenda a pessoa passar por um exame completo, esclarecimentos, prescrições e não entender que estava em uma consulta médica. Enfim, onde o delineador entra nisso?

velha

Nas primeiras semanas eu tava tão ENJOADA de ficar explicando que ai, não sou tão nova assim , que comecei a usar maquiagem pra me envelhecer. Daí percebi que os dias que passava delineador as perguntas apareciam menos. Claro que no trabalho não puxo aquele gatão-étnico, uso algo mais discreto. Até achei que era coisa da minha cabeça, mas é só vez ou outra eu não usar pra me arrepender e ouvir os questionamentos o dia todo. Como não trabalho de jaleco, mas de calça branca + blusa, fui reparando os tipos de roupa que me deixam mais nova também e evito. A coisa é tão absurda que eu criei uma “voz de trabalho”- comecei a me forçar a falar mais grosso e isso é muito ridículo e me sinto num episódio de Seinfeld mas… acreditem, também ajudou um pouco. Trabalho de scarpin alto (mas juro que é MEGA confortável, marca se chama Clarks), alguma blusa social que envelhece, faço babyliss nas pontas pra tirar o desminliguido adolescente do cabelo. Funciona mais ou menos … O irônico é que o saltão não passa impune. Os colegas sempre perguntam do meu saltão (aliás é mania universal tomar conta do salto alto alheio NOÇAAAAA COMO VOSSÊ CONÇEGUE NHE NEHENHE) , mas o pacientes só seguem com olhar mas obviamente não perguntam nada, pois não é da conta deles, né? Mil vezes uns olhares pro meu pé do que ficar ouvindo perguntas sobre idade o tempo todo.. kkkk Sério, teve dois dias que esqueci e trabalhei de sapatilha e foi um DESASTRE! Em termos de conforto não tenho problema porque eu pego meu carro na garagem, paro na porta do trabalho e lá fico sentada quase o tempo todo, só levanto pra cumprimentar o pessoal na porta (aqui você sempre se apresenta e dá um aperto de mão).

O delineador é o Linerrefine da Maybelline, já postei aqui. O pincel é meio chato de passar e demorei muuuuuito pra acostumar, mas já acostumei então é meu favorito mesmo. Não descasca e não mancha nem no calor senegalês! E custa 4,95 euros (cerca de 18 reais) só – ainda bem, já pensou ter que manter este hábito com delineador de marca cara?

Alguém também tem esse problema?! Ah, não julguem “meu problema”. Cada um sabe onde o sapato aperta, né? Na rua e nas festinhas é lindo, quero continuar sem grandes rugas e jovem, mas na profissão é uma grande mierda. Mas obviamente é uma mierda com hora pra acabar, não é possível.

[Ana ranzinza mode OFF]

Beijos da Peter Pan!

22
agosto
2015

A ironia da penteadeira, ou : maquiagens do dia a dia

Postado por Ana em Crônicas cosméticas, Maquiagem

Quem me acompanha há algum tempo lembra da saga da penteadeira. Primeiro, o enorme desejo de ter uma penteadeira após uns 15 anos. Depois, a penteadeira improvisada aqui na Alemanha enquanto ainda morava no Brasil. Depois, a alegria de ter a penteadeira dos meus sonhos em BH. E, por fim, a etapa que acho que não mencionei: a antiga improvisada, obviamente, virou a oficial de novo. Após 3 anos de ter comprado esta penteadeira (na verdade uma escrivaninha) na Ikea eu me arrependi ! Primeiro, porque a gaveta é a coisa mais portuguesa (força da expressão, amigos portugueses) que já vi. Ela não abre toda, a perda de espaço é uns 40%. Coloquei umas divisões de acrílico mas mesmo assim não é prático. Segundo, há cerca de 18 meses comprei uns bulbos num suporte metálico na Ikea e um espelho separado. Foram caros (50 euros o set de bulbos) e depois descobri que é um sistema mais complicado que eu imaginava. Ou fica um cabo descendo a parede ou você precisa praticamente abrir e reconstruir o negócio de novo. Resultado? Bulbos e espelho acumulando poeira no quarto e eu ainda sem um espelho decente. Além disso, eu não contava com certos “problemas” da vida de casada. Desde o ano passado quando fiz um estágio eu comecei a me maquiar no meu escritório, porque acordava/saía de casa antes do meu marido e não sou cruel de ligar luz na cara dele. Até hoje é assim, e o resultado é que eu me maquiava no escritório 90% do tempo. Daí passei a deixar todas as coisas que eu preciso pela manhã nesta caixinha (da Ikea), a maioria das maquiagens/acessórios são coisa que tenho mais de uma, então ficam no meu móvel direto mesmo.

caixinha1

caixinha2

Abaixo são as coisas que uso no dia-a-dia, o legal é já postei sobre quase tudo:

caixinhaitens

1) Pincel de blush, um de sombra e o de passar base sem sujar a mão.
2) Beauty Blender - no iníco achava inútil, hoje não vivo sem. Guilty!
3) Sombra “Paint Pot” cor Painterly da MAC que uso como primer. Se não usar, a sombra sai em 10 minutos.
4) Tangle teezer, escova amada de cabelo.
5) Corretivo Studio Finish NW25 da MAC. Dispensa apresentações.
6) Curvex Shu Uemura. Não estou usando curvex + máscara todos os dias, uso tipo 1x por semana.
7) Meu protetor solar diário pro rosto, Minesol ROC Actif Unify. Não acho na Alemanha, trago (ou trazem) do Brasil.
8) Lápis de sobrancelha da Yes, meu favorito. Tá mini porque comprei 5 na internet pro meu pai trazer na mala e ele esqueceu. Valeu, pai!
9) Apontador pro lápis de sobrancelha. Se não uso apontado me deixa com sobrancelha-tribufu, sabem?
10) Delineador Linerefine da Maybelline, meu atual favorito. Sobreviveu à prova dos 38 grausssss! E, sim, uso todo dia no trabalho, porque me envelhece. Longa história, depois eu explico melhor.
11) Chubby Stick da Clinique. Acabei com quase todos, que orgulho. Esse é o honeycomb, meu favorito (já é o segundo e acho que saiu de linha, argh).
12) Cat eyes, a única máscara que não mancha/transfere em mim e ainda é solúvel em água! :)
13) Blush da Dior, cor 829 – troco o blush da caixinha a cada semana.
14) Sombra da MAC cor “sand”- essa meio alaranjada. Comprei há 4 anos no BH Shopping, pedi pra vendedora me ajudar a montar uma paletinha. Uso quase todo dia e até hoje não acabou, é incrível.
15) Cotonete pra ajustar trapalhadas com o delineador.
16) Blemish e A.G.E da Skinceuticals - passo após o banho de manhã.
17) Base “Dream Satin Liquid” da Maybelline, cor Sand! Uso todo dia, senão o corretivo fica bizarro e a maquiagem sai com 5 minutos.

O engraçado é que isso me fez perceber que eu realmente não preciso do tanto de tralha que tenho na penteadeira. Na verdade, nem da penteadeira eu preciso. Eu uso essas coisas 99% do tempo e comecei inclusive a pegar o estranho hábito de me maquiar inclusive em outros horários (final de semana, etc) no meu escritório mesmo, passando a usar ZERO a penteadeira.

caixinha3reallifeMinha atual “penteadeira”! Ainda uso a luz do computador pra maquiar, hahaha!

Mas realmente queria ter uma pentadeira funcional novamente, que seja para os finais de semana. Semana passada peguei o contato de um marceneiro que faz as coisas na casa de um colega. Só fico imaginando a fortuna que um marceneiro cobra nessas terras. Minha idéia é dar a foto da minha penteadeira antiga e ver se ele faz. Vai demorar um pouco, mas eu realmente desisti da improvisada. Queria ser blogueira e ter um quartinho/closet/penteadeira só pra mim, pra não ter que lidar com esse pequeno problema da vida a dois. Oh, wait!

P.s: tem alguém aí? Amanhã vou ter tempo de gravar vídeo(s), mas estou sem idéia. De preferência relacionado à vida na Alemanha e/ou beleza, alguém me dá uma sugestão? Ah, tenho estado bem assídua no Snapchat, no momento é minha rede social favorita! :) Segue lá, anacris.lc.

Beijos!

09
junho
2015

Tudo o que eu quero é um bom espelho de LED

Postado por Ana em Crônicas cosméticas

Como o título diz: será que é pedir demais? Esses espelhos grandes ao fundo da penteadeira são ótimos para a visão do todo, mas o bom mesmo é ter um espelho pequeno com aumento para fazer a maquiagem! Para delineador e cílios postiços, fazer sobrancelha, depilar o buço ou mesmo para fazer um bom esfumado, acho essencial. Agora não é lá uma época problemática, mas como aqui reina a escuridão durante 6 meses, prefiro que seja um espelhinho com iluminação embutida.

Faz mais de um ano que estou numa saga de jogar dinheiro no lixo em prol desta busca. Tudo começou há cerca de 13 meses, quando fiz uma das melhores/piores compras da minha vida: abri o bolso e paguei chorados 60 euros (~200 dilmas!!!) num espelho de LED maravilhoso, esse aí embaixo:

rip

Ele era de ligar na tomada, com um interruptorzinho: de um lado, sem aumento e do outro, de 10x. Para fazer sobrancelha era uma maravilha, dava para ver cada fiozinho do rosto, cada poro, cada detalhe com perfeição e era lindo e perfeito e eu queria casar com esse espelho e, e, e … o puto queimou na manhã seguinte. Liguei na tomada e escutei um POC proporcional aos watts. Pior que eu tinha jogado fora notinha, caixa, sem chance de troca. Até porque quando voltei na Amazon para dar minha péssima avaliação, vi que não foi só comigo e mesmo guardando notinha a troca nessa loja é sofrível. Desde então não tive coragem de pagar caro em espelho nenhum – então acabo pão-durando e comprando algo na casa dos 10 euros (˜34 dilmas) e é sempre um lixo, de jogar fora mesmo. Tipo este do Kaufhof que tem pilha, a luz é insignificante e ainda fica caindo aos pedaços.

ripkauf

Já joguei uns outros três fora. O grandão caro, acabei cortando o cabo e usando só o espelho sem iluminação mesmo – que como espelho é ótimo, mas a falta de luz me lembra do que ele foi um dia, esse bandido.

Compras caras de espelho iluminado agora, só se for com indicação. Vocês têm algum para me indicar?


Ajude-me apoiando o blog em algum lugar

Fanpage no Facebook

Instagram anacris.lc

SnapChat anacris.lc

♥ Twitter: tinabeatles

♥ Inscreva-se no meu Canal no Youtube – já viram os últimos vídeos?

Bloglovin’!

Ou assinar a lista de e-mails ali no cantinho inferior direito… agora o post chega completo até o e-mail!

Beijos!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Página 1 de 1112345678910