30
setembro
2014

Um pincel diferente – Perfecting Face da Bare Minerals

Postado por Ana em Maquiagem

A minha maneira preferida de passar base tem sido com a mão + esponjinha. Só que o que tem acontecido é que eu acabo tendo que demaquilar minha penteadeira e meu armário (brancos) depois, haha! A mão fica suja e no meio da maquiagem eu acabo sujando outras coisas. Passeando pela Sephora dei de cara com este pincel um tanto quanto curioso, com um buraco no meio. Desculpem-me se estou mal informada, mas nunca tinha lido sobre algo assim. Se chama Perfecting Face e a marca é Bare Minerals.

bare1

bare2

bare3

Achei que ele fosse deixar a base cair ou então colocar tudo de uma vez no mesmo lugar – mas que nada! Eu coloco o mesmo tanto que se fosse passar maquiagem com a mão, e deposito dos lugares estratégicos (sai um pouco de cada vez) – bochechas, testa, queixo, nariz – e depois espalho com ele mesmo. Achei a finalização ótima, bem melhor que os kabukis e pincéis de base que já tinha (que deixam linhas e tenho que finalizar com a esponja).

bare4

Nada como um investimento “às cegas” bem-sucedido! Porque barato ele não foi – não lembro direito, mas na casa dos 30 euros.

Como tem a ver com este post: acabei comprando outros dois pincéis que estava precisando – um bem grandão para aplicar blot powder ou bronzer. Comprei o Large poudre teint 30 da marca Sephora. Foi caro também, mais ou menos o preço do acima.

seph1

E um bem durinho, pequeno e reto para aplicar sombra nos cílios inferiores. Eu sou pequena, então os pincéis que as outras pessoas usam para este fim acabavam por colorir meu rosto inteiro! :) Este é o Eyes 210 da marca Kiko e foi baratinho (uns 5 euros).

kiko1

Já tinha mais de dois anos que não comprava nem meio pincel, então não fiquei com consciência pesada do investimento. Adorei os três!

Beijos!

27
setembro
2014

Quando em Roma …

Postado por Ana em Viagens da Ana

Só tínhamos 5 dias para viajar, por isso queríamos algum destino perto. Acabamos indo para Roma, o que para mim foi um tanto quanto inusitado. Isso porque a viagem que fiz para Roma em 2006 foi a mais horripilante de toda a minha vida, deu absolutamente TUDO errado e para terminar ainda roubaram minha carteira. Cheguei a prometer a mim mesma que nunca mais iria para lá, mas bem, nada como 8+ anos para curar traumas, haha! E não é que com sapatos confortáveis, boa companhia e algum cuidado com a bolsa, é uma cidade encantadora? ♥♥♥ Por si só, é um museu a céu aberto! Vou mostrar um pouquinho do que vivenciei e algumas dicas esparsas!

DCIM100GOPROColiseu: o monumento mais famoso da cidade.

DCIM100GOPROO Coliseu visto de dentro …

flyingbloggerBlogueira voadora do dia

Sobre o Roma Pass

O Roma Pass (36 euros) te dá acesso por três dias aos museus de Roma da seguinte forma: inclui transporte público gratuito e os dois primeiros museus são grátis e os demais te custam metade. Portanto, comprar o Roma Pass já vale financeiramente a pena se você quiser ir ao Coliseu (16 euros, que também serve para o Forum Romano e Palatino) e para a Galeria Borghese (11 euros) e andar um pouco de transporte público. Com ele você pula as enormes filas do Coliseu. Como a gente só queria ir ao Coliseu e andou só a pé o tempo todo, não compramos o passe porque não valeria a pena! Escapamos da fila do Coliseu entrando pelo Foro Romano, que foi uma dica ótima que aprendi na internet! :)

foroAs ruínas do Forum Romano – nessa hora estava um sol forte demais, deu inveja das sombrinhas das orientais

Sobre localização

Existem três correntes de pensamento em relação a “onde ficar ao turistar em Roma”. Varia conforme o gosto do freguês. Há o centrão, perto da estação central Termini, que eu particularmente não gosto e acho que parece a Rua Tupis em BH. Não é perigoso, mas é feio. Em compensação, fica perto de alguns pontos importantes, como o Coliseu. Há o “meio do caminho” entre o centrão e o Rio Tibre (Tevere, em italiano), que foi onde fiquei desta vez. É muito bonito de passear, fica perto de alguns pontos interessantes (Piazza Navona, Pantheon) e dá para ir a pé para a região do Coliseu também (de sapatos confortáveis) e também ao vaticano. Um local muito lindo desta localização é Campo de’Fiori, que é onde eu gostaria de ficar da próxima vez. Há, por fim, a opção “mais cool cool, que é ficar do outro lado do rio Tibre – Trastevere – que também acho bem legal.
DCIM100GOPROO controverso Monumento a Vittorio Emanuele II: os romanos odeiam, mas eu gosto! :)

pantheonPantheon Romano: super interessante, e lá está o tumúlo de Rafael (dentre outros)

angeloO Castel Sant’Angelo que, junto à ponte Élio, é mais lindo ainda à noite.

Sobre o Vaticano

Os ingressos para o Vaticano não estão incluídos no Roma Pass, mas tem como comprar/reservar no site. A taxa de reserva é 4 euros (além do ingresso de 16 euros), mas vale muito a pena na hora que você vai passando por aquela fila gigantesca. Só para lembrar que deve-se ter algum cuidado com a vestimenta para o Vaticano – se exagerar nos decotes e usar saias e shorts curtos podem te barrar (mas não barram sempre, vide mulher ao meu lado na foto abaixo, haha).

mundodeturitasA multidão de turistas no Vaticano.

vaticanobeauty As belezuras do Vaticano

tetodouradoO teto dourado lindo no caminho para a Capela Sistina. Nesta última não pode tirar fotos e eu sempre respeito. E acho um show à parte os bundões se achando espertos olhando pros guardinhas e tirando foto escondidos, parecendo crianças colando em prova na quinta série. Dica: uma porcaria de foto sem flash não vai mudar o mundo.

Temperatura em Roma

O alto verão por lá (julho/agosto) faz um calor insuportável e é muito cheio de gente. Por isso, a melhor época para ir costuma ser a primavera (abril/maio). O outono não é tão tentador quanto a primavera porque chove mais a partir de outubro. Fui desta vez na transição verão/outono e estava uma temperatura bem agradável (20-25 graus) mas ainda muito cheio. No inverno é BEM mais vazio e não é um inverno tão rigoroso, então acho que também é uma boa pedida.

Jardins de Villa Borghese

borguesePedalando bicicleta dupla com uma buzina ~deliciosamente~ ridícula nos jardins.

Um pequeno tópico separado, pois nunca tinha ido e foi o lugar que mais gostei. Não quis visitar a galeria, mas o parque em si, a vista do palácio … coisa linda! Fora que tem a opção de alugar bicicleta e carrinhos motorizados.

Comilança

Se é para se preocupar com o peso, que seja antes e depois de viajar. Eu jamais deixaria de comer guloseimas em viagem, pois para mim é uma das melhores partes. Em Roma é quase obrigatório comer sorvete (gelato)! Eles são realmente mais gostosos e eu comi todo dia pelo menos um! Só para lembrar: o que eles chamam de “pequeno” (piccolo), pros meus padrões, é um sorvetão. Uma sorveteria que já foi votada como a melhor de Roma várias vezes é a Giolitti . E não é pegadinha de guia não, realmente achei o sorvete lá mais gostoso que os demais (2,50 euros o “pequeno” com dois sabores). Outra coisa a se fazer é tomar um Limoncello, um licor de limão. O chato é que metem a faca no preço (5 euros uma tacinha, oi?) e muitas vezes não servem gelado como deve ser. Às vezes é melhor comprar uma garrafa no supermercado e tomar no hotel. E o óbvio: muuuuita massa, incluindo pizza, acompanhada de vinhos da região! Os restaurantes bem próximos aos pontos turísticos (Fontana di Trevi, Pantheon, etc) costumam oferecer comida e vinho beeeem mais ou menos (ou ruim) por cerca de 24 euros por cabeça. A regra em geral é: o garçom te “pesca” na porta = ruim. O melhor é escolher lugares um pouco longe destes pontos, de preferência sem placa de neon na porta, haha.

limoLimoncello de algum lugar e o sorvete do Giolitti

Observação sobre Fontana di Trevi

É uma fonte onde as pessoas jogam moedas e fazem pedidos. É sem dúvidas um dos pontos mais bonitos, famosos, românticos e lotados (foi onde roubaram minha carteira) de Roma – mas infelizmente está de reforma até março de 2015; dá para vê-la ainda (sem a água) mas não é a mesma coisa, óbvio!

Dicas de App

Dois apps gratuitos que eu AMEI e facilitaram muito a viagem: um é o Roma Maps by Ulmon, que tem um mapa de Roma que te localiza na hora e tem um efeito de bússola (você gira o celular e a setinha fala para onde você deve ir) e o app do Rome City Guide do Trip Advisor para evitar que entre em furadas. Pode procurar locais próximos por preço, pode ver a avaliação antes de entrar, etc. Os dois você pode dar download nas informações offline para não precisar de internet quando estiver lá.

appsroma


Beijos com saudades das pizzas!

22
setembro
2014

Minha “fantasy dinner party”

Postado por Ana em Coisas da Ana

Eu e minhas repetidas referências a Friends. Não consigo me controlar, desculpem.

rossss

(Não acredito que estou prestes a conhecer Benjamin Hobart. Sempre pensei nele como uma das pessoas que eu convidaria para meu jantar imaginário. Você acha que há chance de ele trazer Christie Brinkley ou o C3PO?)

Irresistível pensar em quem eu convidaria para meu “Jantar-Fantasia“. Apesar de ser fantasia (e pra fantasia tanto faz), preferi incluir só os vivos na minha listinha porque senão ia ser quase impossível. E escolhi 5 em vez de 3:

dinner1


Paul McCartney

Convidado de honra do meu jantar. Quantas histórias para contar, se puder dar uma palinha de alguma música ao fim da bóia então…que sonho!


João Gilberto

Ele é um mistério, fechadão, como todo gênio bem metódico e até bem chato, dizem. Ele mora no Rio mas ninguém nunca vê, nunca ouve falar. Li um livro sobre ele e fiquei mais curiosa ainda. Isso é que é um convidado exclusivo, hein?

dinner2

Steve Kaufmann

Ele nem é tão famoso e acho que ninguém nunca ouviu falar. Mas o Steve Kaufmann é um hiperpoliglota canadense (e diplomata aposentado) e eu assisto a todos os vídeos que ele posta no seu canal e o acho o máximo. Se eu até já dei carona pro Benny, às vezes eu consigo ter um jantar real com ele, quem sabe, hein? Hein, Seu Steve?

JK Rowling

Eu sou muito resistente a literatura contemporânea e não me orgulho disso. Acho que o autor mais “atual” que eu amava de verdade era o Saramago, que infelizmente já se foi. Mas Harry Potter poxa, eu amei e amo demais, por isso escolhi a JK como representante!

catarina

Kate Middleton

Fantasy Dinner Party tem que ter princesa, né? Fiquei na dúvida entre ela e a rainha, mas vai ela mesmo porque senão a rainha ia ficar monopolizando o Paul. Minha festa, minhas regras.

Ficaram de suplentes da lista: Oprah Winfrey, Ewan McGregor, Paris Hilton (Joselita sem noção, sempre anima). Ah, se a lista incluisse personagem, ia ter a Lorelai com certeza. Já a atriz que faz a Lorelai – já vi dando entrevista e é muito bo-ring.

E o melhor de tudo? No fim das contas, Benjamin Hobart ferrou com o Ross e até roubou a namorada dele. hahahaha ♥ Friends ♥ !

E vocês? Quem chamariam pra festa imaginária de vocês?

Beijos!

19
setembro
2014

Testei: xampu seco do Lee Stafford

Postado por Ana em Cabelo

Se tem uma categoria de produto que eu uso muito pouco é o tal de xampu seco. Simplesmente porque eu lavo o cabelo todo dia (oleoso e amassa muito à noite). Comprei vários produtos da marca Lee Stafford no início do ano (promoção 30% off! :) ). Lee Stafford é um “cabelereiro de celebridades” britânico, e a sua marca de produtos para cabelo é super elogiada, então não resisti.

lee1

Antes de postar sobre o xampu seco deles eu quis esperar um tempo, porque vocês se lembram do que aconteceu com o meu primeiro xampu seco (da Klorane)? Ele simplesmente desapareceu misteriosamente do pote e cheguei a falar que nunca mais ia comprar um ! Mas o tempo curou o trauma e a notícia boa é que este rosa, mesmo em um canto sem ser usado por dois meses, não sumiu!

Quais são as situações em que uso o xampu seco: olha, geralmente são em momentos em que tenho que sair de casa sem banho mas acho que meu cabelo está muito oleoso para o convívio social. Ou seja: quero ir à academia ou rapidinho ao supermercado mas estou com vergonha do cabelo (não lavo antes de malhar ou correr, claro). Ou, a situação que mais me irrita, quando o marido fala: “bora não sem onde, mas tem que ser agora porque já vai fechar“. Daí não dá tempo de tomar banho nem nada, mas como aqui na roça a gente sempre encontra conhecido na rua, vou de xampu seco mesmo. Aliás, a chance de encontrar um conhecido na rua é diretamente proporcional ao grau de creuzice em que você se encontra. Por isso, mesmo sendo algo que uso pouco, faço questão de ter um no canto.

Variantes:

secosFoto: divulgação

Existem xampus secos da própria marca para cabelo escuro e para cabelo castanho médio. Minha raiz é escura e usei esse “Original” sem problema algum!

Como usar:

Segure o spray a uma distância de uns 15 cm da raiz oleosa e o acione! Daí você espalha o pozinho branco com os dedos.

Qualidades:

Olha, não tenho nada de ruim para falar sobre este xampu seco…

- Cheiro bom
- Não deixa muito sem brilho/opaco após o uso
- Não some da embalagem (pelo menos comigo)
- Suga bem a oleosidade

lcrate5

Preço e onde comprar

Aqui na Alemanha o preço normal por 150 mL dele é 9,45 euros. Já vi vendendo na Müller e na Douglas e na Amazon.de é mais caro: 9,95 por 100 mL. No Ebay.com achei por 11 dólares. No Brasil tem na Época Cosméticos por 46,90 e na Sephora por 43 reais.

E aos poucos vou soltando resenhas dos outros produtos da marca que comprei! :)

Beijos!

17
setembro
2014

Maré negra capilar

Postado por Ana em Cabelo, Crônicas cosméticas

Se até a Kate já teve seus Bad Hair Days de frizz indomável, quem sou eu para nunca ter esses momentos ruins também, né? Eu estou passando por uma maré negra capilar.

badhair

O problema da queda

Lembram da saga da careca iminente?

  • Quando o cabelo cai
  • Meu arsenal anti-careca
  • Pois então, aquilo era 99% estresse mesmo. As coisas se acalmaram e não estou usando mais nenhum produto contra queda e mesmo assim já voltou ao normal. Só que o volume atual ficou, obviamente, mais minguado ainda. E eu não gostei do efeito que os produtos anti-queda tiveram. Nasceram vários fios “novos”, o que é ótimo. Só que esses fios “novos” enquanto não crescem bastante dão um aspecto bem feio. Dá impressão que tem muito frizz.

    Descolorante & Eu

    Eu concluí (finalmente) que meu cabelo não aguenta descolorante, mesmo com todos os cuidados. Simplesmente não aguenta, os fios são extremamente finos e arrebentam todos, principalmente as pontas. Eu fazia luzes de touca até 2010, daí fiz californianas em 2011 e até janeiro deste ano fazia luzes “blend”. Em meados de 2011 eu estava na minha auto-entitulada plenitude capilar“. Nunca fui tão feliz com a cor dos meus cabelos! E estavam relativamente saudáveis.

    califEm 2011, que saudades! :(

    Mas o tempo trouxe danos e eles não passaram impunes ao descolorante. Em janeiro deste ano foi a última vez que mexi na cor, mas fiz os reflexos com tinta por causa da queda. A tinta não dá aos meus cabelos um efeito tão bonito quanto o descolorante, é sim muito mais discreta e a tendência é o meu cabelo ficar com um aspecto mais escuro mesmo. Só ver nas fotos do meu casamento.

    pontasPontas sofridas em 2012 e o cabelo em janeiro, logo antes das últimas luzes (com tinta).

    Durante as 5 semanas que estive em BH, matutei até o final se ia retocar a cor ou se deixava pra lá. Eu obviamente não vou mexer na cor do meu cabelo aqui na Alemanha – o gosto, a experiência, os métodos, são todos diferentes. O que eles acham bonito é diferente do que nós achamos. Decidi aproveitar que ainda quase não tenho fios brancos e deixá-los recuperarem um pouco, tipo um rehab capilar. Como só tem descolorante nas últimas pontas, acho que no próximo corte já me verei livre dele. Eu quero voltar sim a ter o cabelo mais claro, mas por ora não vou fazer nada.

    A ironia do corte:

    Fugindo dos cortes “anos 80″ que assombram a Terra da Salsicha, eu deixei para cortar cabelo em BH. Pois ironicamente o cabelereiro fez o proibido no meu cabelo, repicou a frente toda! E deixou o volume menor ainda e super difícil de “domar”.

    chitao

    Sem muito drama, porque vai crescer de novo, daí eu corto. E vou cortar aqui mesmo, não é possível, meu cabelo não é difícil de cortar. Aqui pertinho tem um salão com uma cabelereira que fala 6 idiomas incluindo o português. Pois bem, eu vou falar para ela nos 6 idiomas que não é para repicar na frente e não é pra fazer corte dos anos 80, espero que ela entenda!

    O protetor térmico que não deu certo

    Já que estou fazendo um rehab capilar e não consigo ficar sem dar uma secadinha, estou pelo menos prestando atenção em proteger o cabelo do calor do secador. Então em dezembro passado comprei um protetor térmico “Iron Guard” da CHI, que é uma marca ótima de produtos para cabelo.

    chi

    Eu achei o protetor uma b*sta desde o primeiro uso mas insisti durante pelo menos 50 vezes por confiar na marca e porque odeio desperdício, mesmo de coisa ruim. Ele deixa o meu cabelo duro, difícil de desembaraçar e sem brilho. Daí essa semana o nó que formou no meu cabelo foi tão absurdo e tão grande e tão impossível de desfazer que eu passei a tesoura. Sim, eu cortei uma mecha enorme do meu cabelo. Foi da parte “de dentro” mas eu já tenho pouco, né! Foi a cereja do bolo da maré negra capilar!

    Resumo

    Cabelo com uma cor que não gosto, com um volume que não gosto, com um corte que não gosto. Só fica razoável quando faço babyliss. Estou longe de ficar triste por causa disso, eu sei que é “só cabelo” (aspas, aspas, aspas) minha gente. Mas que é chato, é! E o blog se chama “Linda e Cheirosa”, então provavelmente é para discutir sobre algo muito aquém das idéias de Nietzsche! hahahaha…

    Beijos!

    Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
    Página 1 de 3123